segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Boa Noite

“Agora que os cigarros acabaram, o que fica em minha boca é só o gosto do passado. O gosto mal passado de acetona, fumaça e problemas baratos. Agora que a garrafa quebrou, o que se vai é mais que um vinho tinto, é a secura da tinta que pinta os trilhos de um desagrado futuro. A cabeça ainda gira em torno de si mesma, organizando ideias que insistem em passar quando deveriam apenas esperar por suas vezes, como numa fila de banco. Por sua vez, os olhos pesam e me deixam mais próximo ao fim das desilusões. Agora que a noite acabou, os que restam de pé preparam-se para adormecer tranquilos, enquanto para os que sentam-se esperando o dia nascer, a vida passa como num carrossel desgovernado.
Agora que o mundo acabou, o que nos resta é esperar pelo arrebatamento, e Deus, em seus sonhos hipnóticos, nem imagina o quão próximos estamos dele enquanto esperamos por um próximo trago. A confusão que se instala em nossos sistemas nos faz pensar sobre o que seria correto para incitar-nos a viver e, entre essas e outras, vivenciamos experiências únicas, que no fim da noite são deixadas onde estão, como estátuas paradas no tempo, como fotografias presas em postes, anunciando os desaparecidos e a recompensa por quem decidir perturbá-los.
Agora que os fantasmas são relembrados, sentados em volta de mesas, saboreando a cera das velas acesas para espantar os males que nos solidificam e crucificam, o que dizemos faz com que giremos em torno de memórias e polaroides envelhecidas. As imagens que retornam em nossas mentes, quando a sinestesia toma conta de nossas frases, nos tornam um pouco mais velhos a cada dia. Segundos se tornam minutos e milésimos ao mesmo tempo, e o mundo para de girar para assistir ao baque surdo de nossas mentes permeando a realidade.
Agora que os cigarros acabaram, o que me resta é lembrar de que ainda tenho algo pra tragar, e que minhas noites não são mais tão intragáveis quanto aquelas em que eu vivia sem a lembrança das vidas que tive enquanto a maioria dormia.” – C. J. Amorim (05/08/13)