quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Vende-se

Quebra-cabeças completo,
Com formato do que um dia foi um coração.
Perfeito estado,
Exceto por algumas manchas e nomes que não consegui apagar.
Preço camarada,
Pois já não vale mais tanto assim...
Único dono. Tratar com:
                                                                                              Um Fauno (10/11/11)

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Das Tristezas, Cicatrizes

Estava triste, então, me olhei no espelho
E vi o que não via há muito tempo
Um rosto inerte, de olhar perdido e vasto
De séria expressão
Medonho rosto.
Revi as cicatrizes que me olhavam
Tão sérias como um torpe movimento
Com a ponta de um punhal mal afiado
Mexi nos fios deixados na sutura
E abri-as, como abro uma gaveta
Dum escritório abandonado
Esquecido.
A dor me acordava pouco a pouco
E fiz das cicatrizes, meus desejos
E fiz de meus desejos, cicatrizes
E fiz de minha culpa, cicatrizes
E fiz de minha angústia, cicatrizes
E fiz mais cicatrizes.
O sangue misturava-se ao ódio
Que escapou de todos cortes
Abertos
E os olhos que me olhavam no espelho
Choraram sobre o corpo e o punhal
Choravam, mas não por dor
Mas não por ódio
Porque queriam ver, mas não podiam
Pois sangue não brotava
Destes olhos
E sim das cicatrizes
Choravam de inveja deste sangue.
E o punhal
Que fez de minhas tristezas, cicatrizes
Foi esquecido em meu escritório esquecido.
Eu sou meu escritório esquecido
Eu sou este punhal mal afiado
Esta sutura aberta, sou meus olhos
O sangue que eu chorava, sou meu erro
A inveja não sou eu, é só memória
Dessa tristeza boba que me afunda
Dessa bobeira toda que me inunda
As dores,
Que me fizeram ver minhas cicatrizes
Que me deixaram ser minhas cicatrizes
Que me inundam de ódio e tristeza
Que me acordaram da torpe besteira
Que me entristecem, que me denunciam
Que me fazem sangrar.
Os olhos do punhal que me fitavam deixaram renascer as cicatrizes
Não me deixaram ver minhas cicatrizes
E tudo escureceu e vi meus erros.
Estava triste, então, me olhei no espelho
E vi a novidade dessa angústia
Estava triste, então, me olhei no espelho
E vi que essa tristeza era eu.
                                                                                              Um Fauno (10/07/09)